domingo, 7 de março de 2010

Livre-Arbítrio Desconjurado


Tosse de volta tudo o que tragou
chora com nuvens na mão
o grito de um bebê
com a força do mundo
veia estufada, impede
pede
passagem pro mundo
um centro óxido arde
expele pele dura
o início era distante
fomos jogados, simples assim
rodopiando, se queixando
adorando esse fruto da nossa
não imaginação
vida tanto morte tanta vida
cada um não é,
desviam e abrem o destino
a um âmbito muito mais belo
e menos encaixotado.

Um comentário:

CaH• disse...

Sabe,as coisas que vc escreve me deixam filosofando a noite toda!
publica isso cara!
=]