sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Sobre namoros e seus derivados

"- o sexo subverte, tira a espontaneidade, cria expectativas, confere poder, não gostaria de te odiar só porque você não fez um gesto que eu queria ou não disse aquilo que eu queria ouvir;" (Lena, personagem de Débora Bloch na minissérie global Queridos Amigos)

Essa fala encontra-se no capítulo 4, onde Lena (Debora Bloch) diz porque não se propôs a ter um relacionamento com Leo, seu grande amigo.

8 comentários:

Giovana Meinberg disse...

Huuuuuuuummm
acho q era essa frase que vc queria dizer akele outro dia!
=D

Gostei...

Anônimo disse...

é... tem que ter jogo de cintura... ^^

Anônimo disse...

vi alguns, perdi vários capítulos..
enfim..
parece q agora eu vou conseguir sossegar com um blog só.. haha
passa lá dps..
(roxolatra.blogsp....)

=)

Giovanna Silveira disse...

eu ainda não compreendo esse universo... e sempre me machuco por isso! um dia eu descubro como sobreviver a toda essa turbulência! :*

Túlio Guilherme disse...

Nóia.
Risondelas.

Raoni disse...

sexo, o instinto maravilho da procriação!!
sexo, a desculpa instintiva para o nosso sentimentalismo reprimido!
SEXO!

isyanhesini disse...

e eu a dizer trivialidades!!!

Mariáh disse...

Quem não precisa de sexo? Quem não precisa de algo mais para sentir prazer? Algo forte, que toque o seu coração. Como sexo, porque sexo é bom."
Discordo da Lena. Sexo entre amigos é o que há.