domingo, 14 de dezembro de 2008

O encontro


Numa estrada ao anoitecer só o que consigo ver é o meu fantasma vagueando perdido e sem destino, passeando quase que despreocupadamente enquanto observa o velho sol concluir sua rotina diária. As trevas envolvem-no, não em sua totalidade, pois a lua é forte e teima em desafiar a grande noite, ao longe mais luzes quebram a escuridão, são almas que encontraram um lugar, um lugar onde possam rezar, praguejar, ou simplesmente viver do jeito que lhes convir. Bom, meu fantasma vem a meu encontro, percebo que estou bem longe e vem de perto um som que de tão silencioso é pertubador, que de tão revelador é constrangedor, sim é ela que vem de dentro e de fora, música de todos os lados, agora apenas uma nota soa, sou essa nota, me junto as outras almas

4 comentários:

vanessa disse...

Liita...
Realmente lindo!


Fascinante!

=**

Anônimo disse...

Interessante texto.

Intrigante, eu diria.

=)

Jozieli disse...

Adorei este lugar.

Mariáh disse...

"e vem de perto um som que de tão silencioso é pertubador, que de tão revelador é constrangedor, sim é ela que vem de dentro e de fora, música de todos os lados, agora apenas uma nota soa, sou essa nota, me junto as outras almas" PUTAQUEOPARIU. Muito bom, Lita, horrores.